São Paulo Complexo do Baú São Bento do Sapucaí
22/04/2017 MAPA GALERIA


Complexo do Baú

Gostar de natureza e caminhadas não bastam para desbravar o Complexo da Pedra do Baú, na cidade de São Bento do Sapucaí/SP ( há 191 km de São Paulo ), é necessário coragem e um certo condicionamento físico para percorrer as trilhas do local e chegar ao cume da Pedra do Baú – a maior do complexo, que compreende três formações: o Bauzinho, a Pedra do Baú e Ana Chata.

Com uma altitude máxima de 1.950m, o complexo pode ser avistado de diversas cidades ao arredor da Serra da Mantiqueira, como Campos do Jordão e Santo Antônio do Pinhal.


as trilhas

Existem diversas trilhas que podem ser percorridas pelo complexo, com diferentes pontos de início, todas têm elevado grau de exposição a riscos, não sendo indicada para pessoas que tenham medo de altura, labirintite e similares.

Na nossa viagem, fizemos duas trilhas: a da Pedra do Baú, pela face Norte, partindo do Restaurante da Pedra do Baú e do Bauzinho, partindo de um estacionamento que fica a 20 km do restaurante, percorridos por carro em uma serrinha da região.

Há a possibilidade, porém, de percorrer todas as trilhas a pé, sem a necessidade de deslocar-se de carro, de ambos os pontos de início.


trilha pedra do baú (pela face norte)

O caminho que percorremos tem início no restaurante da Pedra do Baú, que possui estacionamento, no valor de R$ 15,00 por veículo ou gratuito, se for almoçar no local no retorno do passeio.

A trilha, de 2,5km de extensão (incluindo o trecho de escalada), de dificuldade difícil, resume-se em subidas e mais subidas rumo à Pedra do Baú, em solo irregular, com bastante pedras soltas, exigindo cuidado para não escorregar. O lado positivo é que contém trechos com árvores, para descansar em sombras.

Chega um ponto que a trilha, em solo, encerra-se, a partir daí inicia-se uma jornada radical, em ferros acoplados na rocha, contendo trechos de 90º graus de inclinação.

Atenção: o percurso de escalada expõe sua integralidade em risco e, embora tenhamos feito sem auxílio, indicamos contratar um guia, que fornece também capacete e corda de segurança ( se quiser previamente contratar um guia, segue o contato do Rodrigo– tel. 12 99710-6194 ou 12 99728 2917 ).

Ao chegar ao cume a vista recompensa o esforço empenhado, principalmente na face que da vista à Pedra do Bauzinho:

Leve água e frutas, pois do início até o final da trilha não há nenhuma estrutura e exige bastante gasto de energia.

Ao retornar fica opção de almoçar no restaurante ( à época, R$ 30,00, por pessoa para comer à vontade ).


trilha bauzinho

A trilha do Bauzinho é de grau fácil, percorrida em sua maioria em estrada de terra, contendo aproximados 1,5 km de extensão. É possível, porém, caso você tenha algum problema de mobilidade, ir de carro neste trecho de estrada de terra, dessa forma será necessário apenas uma leve caminhada, de 470 metros para chegar ao Bauzinho.


dicas

Sem dúvidas, a Pedra do Baú é a mais bonita do complexo, mas sua beleza é melhor admirada da Pedra do Bauzinho. A lógica, então, é essa: se você não quiser ou não tiver coragem de fazer a trilha da Pedra do Baú, fique com sua vista da Pedra do Bauzinho, ela, por si só, compensa a visita. Acho, porém, que é impossível deparar com a Pedra do Baú sem desejar apreciá-la de perto.

Se você desejar fazer as duas trilhas, o ideal é reservar um dia todo para a visitação, iniciando a trilha da Pedra do Baú por volta das 08h30 para voltar a tempo de visitar a Pedra do Bauzinho ou, se tiver tempo, hospedar-se pela região e fazer com calma uma trilha cada dia.

Do restaurante da Pedra do Baú até o início da trilha do Bauzinho são aproximados 20km, percorridos em uma estrada de asfalto simples, em serra, com curvas fechadas e mal sinalizadas. O ideal, portanto, é realizar esse trajeto durante o dia.


quando ir

É mais indicado conhecer a região entre o mês de maio e agosto, porque costuma chover menos e ventar pouco, mas, em qualquer época, sempre atente-se às condições climáticas, porque qualquer chuva ou vento mais fortes poderá prejudicar a visitação ao complexo.



Mapa da região